Para você que busca o melhor da suplementação, apresentamos o Whey Premium que, além de ser fabricado com matéria prima importada, contém Palatinose e Citrulina para garantir os melhores resultados para o seu treinamento, além de ser delicioso.

Confira por que a Palatinose e a Citrulina farão seu Whey ser Premium:

– A Palatinose é o único carboidrato funcional que é totalmente digerível e lentamente liberado. Fornece glicose de
uma forma mais equilibrada, resultando assim, em energia prolongada. Além de ser de baixo índice glicêmico,
baixo índice insulinêmico e saudável aos dentes, a Palatinose queima mais calorias provenientes de gordura
sob a atividade física em comparação com outros carboidratos.

– A Citrulina potencializa o desempenho de atletas e fisiculturistas, acelerando a recuperação após treinamentos intensos, aumentando a produção de óxido nítrico no organismo e removendo resíduos do interior do tecido muscular, como amônia e ácido láctico, que são prejudiciais ao desenvolvimento dos músculos.

Disponível nos sabores morango, chocolate e baunilha.

Compartilhar:

 

Hoje, iniciamos mais uma sessão em nosso conteúdo, para ajudar você que busca uma alimentação saudável ou está naquela dieta e não quer jacar no final de semana.
A partir de agora, toda semana, iremos postar Receitas Fit escolhidas especialmente para vocês. Serão receitas fáceis e práticas e com ingredientes de fácil acesso.
Ah, e se você tem aquela receitinha fit especial e quer compartilhar com a gente, é só mandar um direct que postaremos.

Então bora para o que interessa!

Receita de Cookies Proteicos

Ingredientes:
– 50g de Whey Protein*;
– 1 colher de sopa de cacau em pó;
– 2 ovos;
– 1 clara;
– 1 colher de sopa de óleo de coco;
– 2 colheres de sopa de farelo de aveia;
– 2 colheres de sopa de farinha de coco;
– 5 colheres de sopa de leite desnatado.

Modo de preparo:
Em uma tigela grande, misture todos os ingredientes secos. À parte, bata os ovos e óleo de coco, adicione lentamente o leite vegetal. Por último, adicione a mistura dos ingredientes secos em 2 etapas. Misture bem e distribua em forminhas de silicone (cubra apenas o fundo de cada uma para não virar um bolinho). Leve ao forno baixo (150°C), pré-aquecido, por cerca de 20-30 minutos.

Você sabia?
* – Whey Protein proporciona uma diminuição da fadiga muscular durante o exercício atuando como um antioxidante, agindo no estresse oxidativo celular aumentando o rendimento físico;
– Estimula a síntese de proteína muscular;
– Estimula o mecanismo da termogênese;

Aqui vale a criatividade também! Que tal colocar algumas gotas de chocolate 70% cacau ou substituir o leite de origem animal pelo leite de côco ou de outra oleaginosa?

 

Compartilhar:

Agora combater o estresse e a ansiedade ficou muito gostoso!

A Jujuba Zen foi desenvolvida para te proporcionar efeito calmante e anti-ansiedade. Seus compostos fitoterápicos, como a Passiflora, Melissa e Valeriana, combatem a ansiedade e o estresse. Já o Hidroxitriptofano, um aminoácido precursor do hormônio de serotonina, vasoconstrutor e neurotransmissor, influencia no humor, no apetite e no sono.

Peça a sua e comece a desfrutar de uma vida mais tranquila e calma!

Zero açúcar ❤

Compartilhar:

 

Por esta você não esperava! ❤

Desenvolvemos exclusivamente para você, um bombom que combate a vontade de comer doces!

Seus ingredientes acabarão de vez com aquela necessidade de um docinho depois do almoço ou naquele fim de tarde estressante. E o melhor de tudo? Em um bombom com chocolate 70% cacau!

Tá curioso pra saber como funciona? Conheça os benefícios de cada um dos ingredientes:

Picolinato de Cromo:
– Ajuda a manter os níveis normais de glicose (açúcar) no sangue;
Queima gordura e acelera a perda de peso corporal;
– Essencial no processamento de proteínas (efeito anabólico);
– Reduz os riscos de doenças cardíacas;
– Aumento da definição muscular;
– Participa na formação da massa muscular;
– Ajuda a levar as proteínas aos lugares onde são necessárias;
– Funciona, com a insulina, no metabolismo do açúcar.

Garcinia:
– Inibi o acúmulo de gordura nos adipócitos (adipogênese);
– Proporciona a lipólise (quebra de gordura);
– Promove uma redução de gordura visceral e periférica;
– Atua na prevenção e tratamento da obesidade, doenças cardiovasculares e diabetes.

Gimena:
– Contribui no controle da diabetes regulando as taxas de glicose no sangue, diminuindo assim, a vontade de ingerir doces;
– Diurética;
Aumento do metabolismo da pessoa (o corpo queima mais calorias);
– Alguns estudos sobre o tratamento da obesidade utilizam a Gimena justamente pelo efeito redutor no sabor doce, que pode durar até 2 horas.

Chocolate 70% Cacau:
– Protege contra doenças cardíacas e acidente vascular cerebral;
Reduz o risco de câncer de cólon;
– Contêm gorduras saudáveis;
Controla o açúcar no sangue;
– Melhora o humor;
– Contêm antioxidantes;
– Contêm teobromina (diminui o risco de cáries);
Ricos em vitaminas e minerais.

Compartilhar:

iogurte pool

 

 

A microbiota intestinal contribui para o bem estar do organismo hospedeiro. Os trilhões de micro-organismos que colonizam o trato gastrointestinal influenciam os processos locais e sistêmicos, como transformação de nutrientes, fornecimento de vitaminas, maturação da imunidade mucosa, a comunicação intestino-cérebro, e mesmo a progressão tumoral.

 

A função adequada da microbiota intestinal depende de uma composição celular estável. A redução da diversidade microbiana e da proliferação de Proteobactérias são características da disbiose. Um número crescente de doenças está associado à disbiose intestinal, como doenças inflamatórias intestinais, tais como colite ulcerativa e Doença de Crohn, distúrbios metabólicos, obesidade, doenças autoimunes, distúrbios neurológicos, etc.

 

Nosso Iogurte Pool de Lactobacillus é composto por IBS Care – uma combinação única de 8 cepas probióticas liofilizadas (Lactobacillus acidophilus + L. plantarum + L. paracasei + L. delbrueckii + Bifidobacterium lactis + B. longum + B. infantis + Streptococcus thermophilus) recomendado para o tratamento inicial da disbiose intestinal.

 

IBS Care 8 proporciona equilíbrio para o microbioma intestinal, melhora a digestão e ainda aumenta o sistema imune intestinal. IBS Care é indicado para recuperação da saúde digestiva antes de iniciar qualquer tipo de tratamento contra diversas doenças.

 

Indicado para homens, mulheres e crianças.
Valor: 134,90. Rende 30 porções.
Enviamos para todo o Brasil.

Compartilhar:

Turkesterona é um ecdisteróide, uma substância similar a esteróides anabólicos que não apresenta efeito androgênico. Promove o metabolismo de lipídeos, carboidrato e crescimento muscular, regula os níveis de testosterona até a sua estabilização, favorecendo a desempenho esportivo.

Turkesterona é um ecdisteróide1 que promove a síntese de proteínas, mantém o metabolismo anabólico, aumenta a massa muscular, enquanto diminui o tecido adiposo. Ecdisteróide conduz a atividade anabólica em músculo esquelético, desse modo organiza a proliferação celular, melhora a função secretora do fígado e também apresente efeito imunomodulador.

O crescimento muscular é promovido por ter uma melhor retenção de nitrogênio e também na metabolização de proteínas reduzindo o catabolismo e aumentando o anabolismo de proteínas em 20%. Turkesterona tem um efeito anabólico na síntese de proteínas por acelerar o processo de translocação.

Ação terapêutica:

– Aumenta a síntese e assimilação de proteínas para contração muscular

– Aumenta a massa muscular

– Substituto da testosterona

– Melhora na função cardíaca

– Previne infecções

Propriedades:

– Ajuga Turkestanica é uma planta perene que cresce na Ásia Central, é conhecida como uma fonte rica de substãncias bioativas, muito utilizadas para o tratamento de doenças cardíacas, dores estomacais e musculares.

– Turkesterona é um ecdisteróide, um hormônio fitoesteroidal que apresenta efeito positivo no metabolismo de lipídios, colaborando para o aumento da performance esportiva.

Mecanismo de Ação:

– Inúmeros suplementos nutricionais são ergogênicos, que aumentam a resistência ao treino nos esportistas e o aumento de força ao longo do treino.

– Turkesterona é um ecdisteróide que promove a síntese de proteínas, mantém o metabolismo anabólico, aumenta massa muscular, enquanto diminui o tecido adiposo. Ecdisteróide conduz a atividade anabólica em músculo esquelético, desse modo organiza a proliferação celular, melhora a função secretora no fígado e também apresenta efeito imunomodulador.

– O crescimento muscular é promovido por ter uma melhor retenção de nitrogênio e também na metabolização de proteínas reduzindo o catabolismo e aumentando o anabolismo de proteínas em 20%. Turkesterona tem um efeito anabólico na síntese de proteínas por acelerar o processo de translocação.

Compartilhar:

20526143_1616097268440769_6687138962507250712_n

 

PeakO2 TM (Compound Solutions/EUA) Desenvolvido para os atletas que buscam o máximo desempenho.
Nome científico: Cordyceps militaris, Ganoderma lucidum, Pleurous eryngii, Lentinula edodes, Hericium erinaceus, Trametes versicolor

A grande exigência do esporte competitivo e da auto cobrança em busca de melhores resultados dos atletas profissionais e não profissionais promove nos mesmos um alto estresse oxidativo e metal. Desta forma é comum todos os tipos de atletas excederem os seus limites físicos e psicológicas, pois estão buscando sempre os melhores resultados e o máximo desempenho. Para a conquista desejada é necessário que os esportistas mantenham a disciplina à todo momento, assim o atleta deve possuir também uma dieta adequada que pode ser obtida a partir da
suplementação para suprir as necessidades exigidas durante a fisiologia do exercício e dos ciclos de treinos intensos.

PeakO2 TM é uma combinação orgânica de seis espécies de cogumelos (Cordyceps militaris, Ganoderma lucidum, Pleurous eryngii, Lentinula edodes, Hericium erinaceus e Trametes versicolor) cultivadas em aveia orgânica inteira para a máxima preservação da bioatividade dos ativos.
Para promover um alto rendimento, eficiência e motivação dos atletas, PeakO2 TM, por ser um blend de cogumelos adaptógenos e por estes cogumelos possuírem Vitamina D2, β-glucanas e L-Ergotioneína, permite que os atletas se adaptem durante os exercícios levando ao máximo rendimento.

Durante as atividades esportivas ocorre o aumento da demanda metabólica, física e psicológica levando ao estresse esportivo e mental, estes quando não orientados e supridos corretamente podem alterar o desempenho e os resultados esperedos.
PeakO2 TM é composto por poderosos cogumelos adaptógenos, que permite os atletas “se adaptar” e superar o estresse físico e mental, proporcionando energia para melhorar a performance antes, durante e após o treino (Panossian, et. al., 2010).

PeakO2 TM contém Vitamina D2, β-glucanas e L-Ergotioneína, que promovem aumento no aporte de O2 a partir da otimização do consumo e da sua demanda, eleva o tempo necessário para se atingir a fadiga e, também eleva a força de resistência muscular durante os exercício de alta intensidade. Com PeakO2 TM os atletas treinam por mais tempo, se recuperam mais rápido e se sentem motivados ao longo do
treinamento.

BENEFÍCIOS:

Reduz a fadiga;
Aumenta a força de resistência muscular em sete dias;
Desempenho máximo nas atividades de alta intensidade;
Aumento do endurance e da intensidade dos treinos;
Melhora o desempenho fornecendo mais energia;
Promove a adaptação dos atletas no momento de fadiga para os melhores resultados;
Potencializa a capacidade aeróbica do atleta por otimizar a utilização do oxigênio;
Energia extra para superar os desafios presentes nos treinos.

INDICAÇÕES:

É indicado para atletas de endurance como corrida, ciclismo, além de outras modalidades como bodybuilders e lutadores para a incorporação em suas suplementações.
PeakO2 TM pode ser administrado sozinho ou associado a suplementos pré e pós treinos, como em combinação com BCAAs, suplementos para aumento da massa muscular – whey protein, e para o aumento da resistência.
PeakO2 TM pode ser aplicado em sachês, shakes, cápsulas e fórmulas em gel.

DOSAGEM USUAL:

Recomenda-se de 1 a 4 gramas diárias.

Compartilhar:

Bulbine Natalensis é uma planta nativa, originária da África do Sul, da família Asphodeloideae. É uma planta suculenta, ou seja, uma planta carnuda capaz de reter água em climas secos na maior parte e caracteriza- se por mudas de flores amarelas que são usadas em decorações de jardins.
Bulbine natalensis, foi durante anos usados na medicina popular para tratar a impotência e disfunção erétil. Tem mostrado efeitos hormonais consistentes, promovendo aumento de níveis de testosterona e hormônio luteinizante , melhorando a libido e o desempenho sexual.
Para os homens, os níveis de hormônio tem uma ampla gama de benefícios tais como: aumentar os níveis de testosterona, potencializar a libido e a fertilidade, aumentar a força e os ganhos de massa muscular magra, os níveis de energia e a resistência, melhoria a recuperação pós exercício, maior proporção de músculo para gordura.

INDICAÇÕES:
– Aumento de massa muscular magra
– Maior energia e resistência
– Aumento da força
– Melhor recuperação pós-exercício;
– Aumento da libido e desempenho sexual

Além disso, as folhas, raízes e seiva são usadas, respectivamente, para uma variedade de
doenças: para o tratamento de picadas de insetos, picadas de mosquito, bolhas, feridas,
úlceras na boca, pele rachada, para aliviar as queimaduras solares, desinfetar cortes e para
acelerar a cura de contusões. Bulbine natalensis foi usada com segurança por milhares de
anos na África do Sul, o que lhe conferiu o status de “medicina tradicional” sendo
considerada segura para uso.

INTERAÇÃO DE BULBINE COM OS HORMÔNIOS

1 . Testosterona

Um estudo foi realizado com ratos Wistar machos alimentados com Bulbine natalensis ( extrato aquoso do caule ) , que constatou aumento de testosterona circulante com doses de 25 , 50 e 100mg/kg de peso corporal . Os parâmetros de interesse não foram dosedependente,
e segue uma curva de sino; peso corporal com 50mg/kg de peso corporal, sendo a mais eficaz , seguido de 25mg/kg e 100mg/kg
Com o grupo de controle apenas abaixo 1ng/mL testosterona circulante , a dose mais eficaz ( 50mg/kg ) aumentou a testosterona em aproximadamente 3.3ng/mL ( dia 1 ) , 4.2ng/mL ( dia 7 ) , e 4.4ng/mL ( dia 14). níveis testiculares de testosterona seguiu um
padrão semelhante, e em ambos o sangue e testamos a melhor dosagem foi de 50mg/kg seguida de 25mg/kg e 100mg/kg .
Outros estudos que analisam os níveis de testosterona observam aumento de até 34,6 % do nível de controle em ratos machos em 50mg/kg peso corporal, embora 100mg/kg tem sido associada com uma queda não significativa nos níveis de testosterona abaixo de controle.
A testosterona é confiável e reforçada em ratos, sendo bastante potente também. No entanto, as doses mais elevadas de 100mg/kg parecem ser tão potentes com 25mg/kg ou pior do que nada , diminuindo a testosterona . Dose é muito importante aqui, e uma curva de sino toxicológico existe Mecanicamente , a suplementação da dose ativa ( peso corporal 25-50mg/kg Bulbine natalensis ) está associada com um aumento das atividades de fosfatases alcalinas e ácidas .A atividade das enzimas fosfatase correlacionada tanto com aumentos de testículo e de testosterona.

Obteve-se um aumento do tamanho dos testículos ( 2-2,9 vezes maior do que o controle) , bem como aumentou o teor de glicogênio , a proteína e o ácido siálico foi observado em testículos de rato juntamente com o aumento dos níveis de testosterona testicular , depois de cerca de 7-14 dias após a suplementação de Bulbine natalensis.

2. Hormônio Luteinizante

LH demonstrou ser aumentada com Bulbine natalensis em ratos machos , e parece ser mais drástica ao longo do tempo , em vez de um efeito agudo . O único estudo que demonstrou aumentos de LH observou-se que a melhor dose ( 50mg/kg de peso corporal ) aumentou LH para 2ng/ml (com controle em torno 0.6ng/mL ) no dia 1, mas para 7ng/mL no dia 14.

3. Hormônio folículo-estimulante

Folículo – estimulante (FSH), também foi aumentado em ratos machos após o consumo de Bulbine natalensis , e semelhante ao Hormônio Luteinizante parece ser mais eficaz durante um longo período de tempo, mas com menos variação ao longo do tempo. Aumenta de 7 + / -0.2ng/mL para 11,2 + / -0.08ng/mL foram notados com 50mg/kg de peso corporal.

4. Progesterona
Aumentos de progesterona têm sido observados com 25mg/kg ( +31 %) e 50mg/kg (+70%). Uma diminuição de 41 % é considerado com 100mg/kg de peso corporal Bulbine natalensis .

5. A prolactina

Em doses de 25 , 50 e 100mg/kg de peso corporal em ratos não parecem influenciar significativamente as concentrações de prolactina no soro de ambos os sexos de ratos.

6. Estrógeno

O estrógeno parece ser diminuído em ratos machos após a suplementação de Bulbine natalensis diminuindo a 79,7 % do controlo a 25mg/kg , 65,1 % do controlo a 50mg/kg de peso corporal , e 76,7 % do controlo a 100mg/kg de peso corporal . Niveis de estradiol circulante na fora afetados em ratas.

INTERAÇÕES COM ÓRGÃOS

1. Fígado
Um estudo toxicológico em ratos descobriu que a ingestão oral de 25 , 50 e 100mg/kg de peso corporal foi capaz de alterar as enzimas hepáticas e induzir alterações histológicas que são conhecidos por ser adversos. Os efeitos adversos sobre enzimas hepáticas aumentaram dose-dependente e ao longo do tempo.

2. Rins

Após a ingestão de 25, 50 e 100mg/kg de peso corporal Bulbine natalensis em ratos saudáveis , o exame histológico dos túbulos do rim observou distorções na arquitetura que pode ser indicativo de alguns efeitos tóxicos.

Bulbine natalensis é uma das poucas ervas que aumentam os níveis de testosterona e abaixam os níveis de estrógeno.

 

Referências Bibliográficas
1.Effect de extrato aquoso de Bulbine natalensis (Baker) tronco sobre o comportamento sexual de ratos machos.
2.Atividades 2.Anabolic e androgênicos de Bulbine natalensis-tronco em ratos Wistar machos.
3.Reproductive avaliações toxicológicas de Bulbine natalensis Baker-tronco extrato em ratos albinos.
4.Effect de Bulbine natalensis Baker-tronco extrato nos índices funcionais e histologia do fígado e rim de ratos Wistar machos.
5.Orientação para o Setor A estimativa do Seguro máxima Dose Inicial de Ensaios Clínicos Iniciais para Therapeutics em adultos voluntários saudáveis
6.Segurança de Curto Prazo de natalensis suplementação Bulbine em homens saudáveis
7.Yakubu MT, Afolayan AJ . Anabolizantes androgênicos e atividades de Bulbine natalensis -tronco em ratos Wistar machos . Pharm Biol . (2010 )
8.Pather N, Viljoen AM, Kramer B. Uma comparação bioquímica dos efeitos in vivo de frutescens Bulbine e Bulbine natalensis na cicatrização de feridas cutâneas . J Ethnopharmacol . (2011)
9.Yakubu MT, Afolayan AJ . Efeito do extrato aquoso de Bulbine natalensis ( Baker) tronco sobre o comportamento sexual de ratos machos. Int. J. Androl . (2009 )

 

34dadf4e-6691-4daf-bedd-df409d2901d8

Compartilhar:

Norvaline

 

c0c02f0f-649a-4f8b-8b2f-5370e54ff0a0
É um análogo do aminoácido de ca-deia ramificada – Valina.
Norvaline por ser um inibidor da Ar-ginase – enzima que impede a pro-dução de óxido nítrico – está direta-mente relacionado com o aumento dos níveis de óxido nítrico sanguí-neo, o que causa consequentemente relaxamento dos vasos sanguíneos, diminuindo assim a pressão sanguí-nea e com isso, o risco de desenvol-vimento de problemas cardiovascu-lares e ataques cardíacos. O sistema imunológico também utiliza óxido nítrico para desativar células cance-rígenas, e os tecidos musculares uti-lizam óxido nítrico (NO) para esti-mular o crescimento.

– Aumenta níveis de óxido nítrico
– Promove a reparação de vasos sanguíneos
– Aumenta o fluxo sanguíneo
– Aumenta a energia
– Aumenta a resistência
– Melhora a força muscular
– Reduz a inflamação
– Coadjuvante no tratamento da impotência

NORVALINE & ARGINASE
Arginase pertence à família de enzimas ureohidrolase.
Arginase catalisa o quinto e último passo no ciclo da uréia. Especificamente, arginase converte L-arginina em L-ornitina e Uréia.

Há duas isoformas distintas da arginase que estão distribuí-das e compartimentalizadas diferenciadamente nos tecidos e células. Estas são designadas como arginase I (AI) e argina-se II (AII). Enquanto a AI é encontrada predominantemente no citosol de células hepáticas, regulando o ciclo da uréia, a AII é grandemente distribuída em tecidos extra-hepáticos, localizada principalmente nas mitocôndrias de células renais, tendo como uma das suas funções a regulação do metabolis-mo da L-arginina, provendo L-ornitina como precursor para biossíntese de glutamato, poliaminas, creatina e prolina . Arginase consiste em três tetrâmeros. A enzima requer um aglomerado de metal de duas moléculas de manganês, a fim de manter suas funções adequadas. Esta enzima possivel-mente está envolvida em um sistema de consumo de argini-na que evita a formação de NO, portando como Norvaline é um inibidor desta enzima, mantêm os níveis de óxido nítrico (NO) aumentados.

 

NORVALINE X EFEITO CARDIOPROTETOR
Estudo de 2011, publicado pelo International Journal of Hypertesion e intitulado como ”Inibidor da arginase, na correção farmacológico da disfunção endotelial”, concluiu que a aplicação de L-norvaline à camundongos do tipo Wistar, impediu o desenvolvimento de dis-funções endoteliais sistêmicas pois promoveu a supressão da atividade da enzima arginase – permitindo um aumento de L-arginina. A ausência de óxido nítrico (NO), conduz ao de-senvolvimento de disfunção endotelial, aumentando portando o risco de desenvolvimento de patologias cardiovasculares. A ação protetora do endotélio é fornecida com o aumento da L-Arginina endógena que consequentemente aumenta os níveis de óxido nítrico.

 

NORVALINE X ÓXIDO NÍTRICO
Estudo de 1998, publicado no The American Journal of Physiology e intitulado como “Arginase modula a produção de óxido nítrico em macrófagos ativados”, testou a hipótese de que a produção de NO pode ser reduzido devido ao fato da arginase esgotar o substrato comum neste tipo de célula. Foi investigado o efeito de um inibidor da arginase, L-norvaline, sobre a produção de NO em macrófagos J774A.1 de camundongos ativadas por lipopolissacarídeo (LPS, 1,0 micrograma / mL) durante 22 h. Na ausência de LPS, os ma-crófagos produziram um nível baixo de NO. Em contraste, a produção de NO a partir des-tas células foi significativamente aumentada na presença de LPS. Aumentar os níveis ex-tracelulares da L-arginina (0,01-0,8 mM) produziu um aumento concomitante da produção de NO por macrófagos ativados. L-norvaline (10 mM), inibiu especificamente a atividade da arginase sem alterar a atividade da NOS, aumentado a produção de NO (55%) a partir de macrófagos ativados. Estes resultados indicam que a arginase pode competir com a NOS para o seu substrato comum e, assim, inibir a produção de NO. Este mecanismo de regulação pode ser particularmente importante quando o fornecimento extracelular de L-arginina é limitado.

 

NORVALINE X PROPRIEDADES ANTIINFLAMATÓRIAS
Estudo de 2009, publicado pela BMC Cardiovascular Disorders e intitulado como “Efeitos anti-inflamatórios de L-norvaline – inibidor da arginase pela inibição de S6K1 “, investigou-se se as células endoteliais da arginase II está envolvida na resposta inflamatória nas célu-las endoteliais. Para isso foram isoladas células endoteliais humanas a partir de veias um-bilicais e estas foram estimuladas com TNF-alfa (10 ng / ml) durante 4 horas. A expressão endotelial das moléculas inflamatórias ou seja, molécula de adesão celular vascular-1 (VCAM-1), molécula-1 de adesão intercelular (ICAM-1), e E-selectina foram analisados por imunotransferência.
A indução da expressão de VCAM-1 endotelial, ICAM-1 e E-selectina por TNFalfa foi depen-dente da concentração reduzida por incubação das células endoteliais com o inibidor da arginase, L-norvalina. No entanto, a inibição da arginase por outro inibidor da arginase S-(2-boronoethyl)-L-cisteína (BEC) não teve nenhum efeito. Conclui-se que o inibidor da ar-ginase – L-norvaline exibe efeitos anti-inflamatórios, independentemente de inibição da arginase em células endoteliais humanas. As propriedades anti-inflamatórias de L-norvalina é parcialmente atribuível à sua capacidade por inibir a S6K1.

 

DOSAGEM USUAL: 200 mg a 400mg / dia

 

Indivíduos com doença hepática ou deficiência de arginase não devem tomar suplementos que contenham L-norvaline.

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
1. http://www.musclepharm.com/content/l-norvaline
2. BOUCHER, J. L.; MOALI, C.; TENU, J. P. Nitric oxide biosynthesis, nitric oxide synthase inhibitors and arginase competition for L-arginine utilization. Cellular and molecular life sciences : CMLS, v. 55, n. 8-9, p. 1015-28, jul. 1999.
3. CHANG, H. et al. Reduction of Ventricular Hypertrophy and Fibrosis in Spontaneously Hypertensive Rats by L-arginine. Heart, v. 48, n. 1, p. 15-22, 2005.
4. Reczkowski RS, Ash DE. Rat liver arginase: kinetic mechanism, alternate substrates, and inhibitors. Arch. Biochem Biophys. 1994 Jul;312(1):31-7.
5. Mihail V Pokrovskiy, Mihail V Korokin, Svetlana A Tsepeleva, Tatyana G Pokrovskaya, Vladimir V Gure-ev, Elena A Konovalova, Oleg S Gudyrev, Vladimir I Kochkarov, Liliya V Korokina, Eleonora N Dudina, Anna V Babko, Elena G Terehova ;Arginase inhibitor in the pharmacological correction of endothelial dysfunction. ;International journal of hypertension 2011: 2011 pg 515047
6. Chiung-I Chang, James C. Liao, and Lih Kuo; Arginase modulates nitric oxide production in activated macro-phages; A m J Physiol Heart Circ Physiol January 1, 1998 274:(1) H342-H348
7. Ming XF, Rajapakse AG, Carvas JM, Ruffieux J, Yang Z (2009) Inhibition of S6K1 accounts partially for the anti-inflammatory effects of the arginase inhibitor L-norvaline. BMC Cardiovasc Disord 9: 12.

 

Compartilhar:

O DHA é uma fonte vegetariana pura do ômega 3 – ácido docosahexaenóico (DHA). É produzido a partir de microalgas em um processo controlado em vias de fermentação.

 

9f231e95-a122-4bfe-8866-c56620154b5a

 

Durante o único processo de fermentação, as microalgas são cultivadas em grandes quantidades sob condições totalmente controladas e assim, acumulam quantidades significativas de DHA. Após o processo de fermentação, DHA é extraído e refinado em processos muito similares às utilizadas na produção de óleos vegetais convencionais.

Devido às suas fontes renováveis, DHA é ambientalmente amigável, livre de alérgenos e livre de contaminantes potenciais que normalmente são encontrados em frutos do mar.

PROPRIEDADES:

O DHA presente no corpo é derivado principalmente da ingestão de peixes e frutos do mar. É bem conhecido, no entanto, que a ingestão de DHA com a típica dieta ocidental está bem abaixo dos valores recomendados. A natureza previu um caminho para produzir DHA a partir do ALA (ácido alfa-linolênico) no corpo humano. Durante este processo, o ALA é convertido enzimaticamente para EPA e após, à DHA. No entanto, tornou-se claro que a ingestão do precursor ALA não pode compensar a baixa ingestão de DHA na dieta. Vários estudos de suplementação humana tem abordado a questão do processo de bioconversão e, foi concluído que a conversão de ALA em EPA é limitada e a conversão para DHA é extremamente baixa.

Envelhecimento, doenças e estresse contribuem para esse processo de conversão limitada, bem como a ingestão excessiva de óleos ricos em ômega-6 devido à concorrência para as mesmas enzimas. A captação de DHA da dieta pode ser crítica para a manutenção adequada das concentrações de DHA na membrana. Portanto, as organizações de saúde em todo o mundo fizeram recomendações específicas para aumentar os níveis de DHA. Em um estudo envolvendo mais de 100 vegetarianos saudáveis, 8 semanas de suplementação com DHA mostrou aumentar significativamente os níveis plasmáticos de ambos DHA e EPA em comparação com placebo.

Gravidez

Sob as atuais condições alimentares, a ingestão materna de ácidos graxos de ômega-3 não é suficiente para manter o aumento da demanda durante a gravidez. A maioria das autoridades nacionais e internacionais, portanto, recomendam um aumento da ingestão de DHA durante a gravidez e lactação para pelo menos 200 mg/dia. Após o nascimento, o bebê recém-nascido continua a obter DHA da mãe através da amamentação. O conteúdo de DHA do leite materno está diretamente relacionado com a ingestão dietética de DHA da mãe; a suplementação com DHA aumenta o teor de DHA no leite humano. A insuficiência precoce de DHA (pré e pósnatal) pode significar consequências importantes sobre o crescimento e a função do sistema nervoso central (SNC) e, consequentemente, no desenvolvimento cognitivo e neurológico da criança.

A associação positiva entre a ingestão materna de DHA durante a gravidez e o processamento mental da criança aos 4 anos de idade sugere que a otimização do status de DHA em mulheres grávidas pode oferecer benefícios de desenvolvimento a longo prazo para seus filhos. Nas crianças em idade escolar, o DHA é indicado para ajudar a concentração, atenção regular e controlar o comportamento.

Saúde cerebral

O DHA é um importante bloco de construção estrutural e funcional do cérebro – cerca de 30% dos lipídeos estruturais da massa cinzenta são de DHA. Por isso, não é de estranhar que a deficiência de DHA no início da vida tem sido associada com uma variedade de distúrbios de aprendizagem e cognitivos. DHA é necessário durante o desenvolvimento fetal e infantil para o crescimento e desenvolvimento funcional do cérebro e dos olhos. Em adolescentes, a suplementação de DHA foi proposta para evitar a agressão durante períodos de estresse mental, como em períodos de exames escolares. Nos adultos, o DHA mantém a função normal do cérebro e, evidências científicas relacionam os níveis reduzidos de DHA com um número de perturbações mentais, incluindo depressão, demência, esquizofrenia e a doença de Alzheimer. Depressão e outras doenças mentais em indivíduos idosos estão associadas, significativamente, com níveis de omega-3 inferior do que em indivíduos em idade que necessita de controle.

Saúde dos olhos

A importância do DHA para a função da retina é refletida pela elevada concentração de DHA, especialmente, no fotorreceptor da retina. Lá, este está envolvido na via de sinalização intracelular, que transforma leves sinais em atividade neuronal. Sendo assim, DHA desempenha um papel de grande importância para a saúde dos olhos durante a fase pré-natal e nos primeiros anos de vida, assim como em idosos. Vários estudos em humanos sustentam a importância do consumo adequado de DHA maternal durante a gravidez, visando a maturação do sistema visual da criança. Em dietas de adição de ácidos graxos ricos em ômega-3, especialmente o DHA, o mesmo pode atuar como protetor associado à idade patológica vascular e à retina neural em idosos.

Saúde do coração

Vários estudos científicos demonstram claramente que uma alta ingestão de omega-3, especialmente DHA, está correlacionada com a saúde do coração. Curiosamente, o ácido graxo essencial na dieta precursor de EPA e DHA, ácido alfa-linolênico (ALA), não tem consistentemente sido encontrado para ter efeitos benéficos sobre a saúde cardiovascular. Os efeitos do DHA na saúde do coração incluem efeitos sobre triglicérides, lipoproteína de alta densidade, função das plaquetas, células endoteliais e função vascular, pressão arterial, excitabilidade cardíaca, as medidas de estresse oxidativo, bem como citocinas pró e anti-inflamatórias.

INDICAÇÕES

É possível utilizar o DHA em produtos lácteos, barras de cerais, suplemento alimentar, alimentos dietéticos destinados a fins medicinais específicos, dietas de restrição calórica para perda de peso, bebidas aromatizadas não alcoólicas e sem a presença de carbonatos, à base de água (incluindo bebidas energéticas e bebidas esportivas) e bebidas à base de sumo de frutas.

CONCENTRAÇÃO RECOMENDADA

  • Gestantes ou lactantes: pelo menos 200 mg ao dia;
  • Crianças a partir de 6 anos: 600 mg ao dia;
  • Idosos: 900 mg ao dia;
  • Prevenção e tratamento de ataque cardíaco: 1,0 g ao dia;
  • Redução de triglicérides: de 2,0 a 4,0 g ao dia.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS:

Spector AA, Yorek MA. Membrane lipid composition and cellular functions. J Lipid Res 1985;26:1015-35

Innovations in Food Technology. Vegetarian DHA is good for your heart. 2006; p.20.

Connor W.E.,Lowensohn R, Hatcher L. Increased docosahexaenoic acid levels in human new-born infants by administration of sardines and fish oil during pregnancy. Lipids 1996;31:S183–7.

Hornstra G, Al MDM, Vonhouwelingen AC, Foremanvandrongelen MMHP. Essential fatty acids in pregnancy and early human development. Eur J Obstet Gynecol Reprod Biol 1995;61:57–62.

Geppert J, Kraft V et al. (2005). Docosahexaenoic acid supplementation in vegetarians effectively increases omega-3 index: A randomized trial. Lipids 40(8):807-814.

Yurko-Mauro K et al. Beneficial effects of docosahexaenoicacido n cognition in age-related cognitive decline. Alzheimers Dement , 2010.

Compartilhar:
Perfil
Mona Lisa Bevilacqua

Empresária, Graduada em Farmácia Industrial, Pós-graduada
em Manipulação Magistral Alopática, MBA em
Cosmetologia e
com cursos de
cosméticos realizados
em Paris e Mônaco.
Saiba Mais
Chat Online
LiveZilla Live Chat Software
LiveZilla Live Chat Software
Horários de atendimento para Orçamento Online:
De seg. a sex. das 08h às 18h.
Sábado. das 08h às 13h.
Newsletter
Fique por dentro das novidades.
Loja Virtual
Mais Acessados


Contato

34 3331-0500
Avenida Santos Dumont, 1050
Uberaba / MG - CEP 38060-600
Sobre o Blog

Este é um canal de comunicação da Farmácia AcquaBella com todos os nossos públicos: Clientes, Colaboradores, Sociedade e Fornecedores.
Farmácia AcquaBella © Todos direitos reservados 2014.