Destaques

O Bom Funcionamento do intestino é muito importante para realização das funções do organismo.Uma boa alimentação e a ingestão de bastante liquido ao longo do dia faz toda a diferença.  O intestino preguiçoso,sofrimento para muitas pessoas,além de trazer o desconforto também pode causar algumas patologias. Para auxiliar no tratamento desse problema, a Farmácia AcquaBella desenvolveu o Suco Regulador Intestinal que é composto das substâncias: INULINA e PSYLLIUM.

Inulina

A inulina é um nutriente funcional ou nutracêutico, composto por frutose, encontrado naturalmente em inúmeros vegetais, como por exemplo a chicória. Esse nutriente, considerado uma fibra alimentar solúvel, e recebe o nome de alimento prebiótico devido sua função exercida no organismo humano (nutriente que serve de alimentos para as bactérias intestinais).

Ao contrário dos outros nutrientes pertencentes a classe dos Frutooligossacarídeos (FOS), a inulina é resistente à ação das enzimas gástricas, fazendo com que ela não sofra digestão no estômago, chegando assim intacta ao intestino. Desse modo, esse nutriente influencia diretamente a função intestinal. Apesar de ser um tipo de açúcar, sua glicose não é totalmente absorvida pelo organismo, podendo ser usada por diabéticos, pois não altera a glicemia.

Em termos calóricos, o corpo humano aproveita cerca de 1,5 calorias por grama, contra 4 dos outros carboidratos, podendo também ser usada em dietas restritivas para fins de emagrecimento.

Existem inúmeros benefícios do uso da inulina por indivíduos saudáveis ou enfermos, dentre os principais destacam-se: Prevenção de Câncer do Trato Gastrointestinal, Melhora do funcionamento do intestino, Controle glicêmico, Melhora da imunidade.

Psyllium

Fibra responsável em ajudar na regulação intestinal. Tem também como funçãodiminuir a absorção de glicose diminuiu de forma significativa e esta redução não está associada com uma importante mudança na os níveis de insulina.Também reduziu o colesterol total e, e ácido úrico.

Um efeito terapêutico benéfico do Psyllium é o controle metabólico de diabéticos tipo 2, bem como na redução do risco de doença cardíaca coronariana. O consumo desta fibra não prejudica os minerais ou vitamina A e as concentrações de vitamina E.

É indicado em casos de obstipação crônica, coadjuvante da evacuação intestinal em casos de hemorroidas, gravidez, convalescença, períodos pós-operatórios e senilidade. Também nas colites e diverticulites.

Procure um profissional capacitado para maiores orientações.

14333706_1248863675164132_4216427072801564416_n

Compartilhar:

Como defendia Hipócrates, pai da medicina, a comida pode ser o alimento e também o remédio

 

Se realmente somos o que comemos, a recíproca da famosa expressão também faz sentido, principalmente na hora de cuidar da nossa saúde gastrointestinal: os alimentos podem desencadear, mas também ser o remédio e a solução. O que comemos certo pode aliviar sintomas de desconfortos frequentes e melhorar a relação com doenças e intolerâncias. Tal cuidado é essencial, já que vários problemas gastrointestinais podem interferir de forma significativa na absorção de nutrientes importantes, como vitaminais, proteínas, carboidratos e sais minerais, acarretando vários problemas, como anemia, enfraquecimento dos ossos e desnutrição. Além disso, algumas podem comprometer a ingestão normal de alimentos, restringindo a dieta dos pacientes.

 

Segundo Maria do Carmo Friche Passos, presidente da Federação Brasileira de Gastroenterologia (FBG), o intestino delgado é o principal órgão responsável pela digestão e absorção dos alimentos e várias doenças que atingem esse segmento do tubo digestivo podem comprometer de maneira importante essas funções, como a doença celíaca (glúten), algumas parasitoses (giardíase maciça), tuberculose intestinal, doença de Crohn, entre outras. É fundamental que o paciente tenha diagnóstico preciso e orientação alimentar adequada, que pode ser feita pelo próprio gastroenterologista ou sob a supervisão de um nutricionista, que indicará uma dieta adequada às necessidades nutricionais e condições fisiológicas, alerta.

 

A síndrome do intestino irritável (SII), por exemplo, atinge de 10% a 20% da população ocidental e é responsável por grande parte dos atendimentos ambulatoriais em gastroenterologia. Mas a simples adoção de uma dieta específica e saudável poderia melhorar os sintomas dessa e de outras condições clínicas, além de proporcionar inúmeros benefícios ao organismo, como saúde, beleza, longevidade e prazer. Segundo Maria do Carmo, que é professora da Universidade Federal de Minas Gerais e da Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais, a alimentação correta, saudável e equilibrada e com suficiente aporte de calorias e nutrientes é essencial para o bem-estar e a qualidade de vida, principalmente em condições clínicas que exigem uma dieta específica.

 

É com esse objetivo que a FBG acaba de lançar uma cartilha com importantes informações sobre as dietas, sintomas e tratamentos de doenças, como síndrome do intestino irritável (SII), doença celíaca, constipação intestinal, dispepsia funcional, flatulência, intolerância à lactose e à frutose e doenças do esôfago. Segundo Maria do Carmo, o objetivo é sensibilizar e orientar a população sobre a importância da implementação de uma correta alimentação, além da adoção de um estilo de vida mais saudável. Como já dizia Hipócrates, o pai da medicina, ‘Que a comida seja o teu alimento e o alimento, o teu remédio, defende a especialista.

 

TENDÊNCIAS

 

Muito do que encabeça a lista de alimentos saudáveis é conhecido da população, mas novos estudos permitiram o desenvolvimento de dietas para a saúde intestinal. Uma delas é a Dieta FODMAP, palavra formada pelas iniciais de um conjunto de carboidratos, que podem ser de difícil digestão para algumas pessoas (fermentable oligosaccharides, disaccharides, monosaccharides and polyols). Segundo Maria do Carmo, os oligossacarídeos, dissacarídeos, monossacarídeos e polióis são alimentos fermentáveis, que, por ser mal absorvidos pelo trato digestivo humano, podem causar desconforto intestinal. A formação de gases pela microbiota intestinal acaba desencadeando os referidos sintomas.

 

A dieta foi descrita há cerca de cinco anos, na Austrália, e tem se mostrado eficaz para os pacientes portadores da Síndrome do Intestino Irritável com quadro de flatulência excessiva e diarreia crônica sem uma causa específica. Como a dieta é constituída por algumas classes de alimentos, sugere-se retirar todos por um curto período e ir voltando com cada um dos grupos alimentares. Se o paciente piora ao reintroduzir um determinado grupo de alimentos, possivelmente, ele é intolerante àquele grupo e esses alimentos devem ser evitados, explica Maria do Carmo, que reforça que essa dieta somente está indicada para pacientes portadores da Síndrome do Intestino Irritável ou síndromes associadas aos gases e à diarreia, sempre sob orientação médica.

 

Alimentos bem-vindos

 

Há hoje inúmeros tipos de dietas para promover o bem-estar e, especialmente, auxiliar na manutenção da saúde digestiva. Mas o ideal é que se leve em conta as suas necessidades.
Para a nutricionista clínica esportiva Cássia Nascimento, o ideal é que as pessoas procurem ajuda especializada para ter a dieta como aliada.
Ora o ovo é bom, ora inimigo do colesterol… O tomate faz bem pra isso, mas piora aquilo… Manteiga ou margarina E assim vão surgindo as dúvidas da população sobre quais alimentos são bem-vindos… ou não. Segundo Maria do Carmo Friche Passos, presidente da Federação Brasileira de Gastroenterologia e professora associada da Universidade Federal de Minas Gerais e da Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais, os conhecimentos avançam, muitas pesquisas são realizadas e, realmente, alguns conceitos em relação aos alimentos podem mudar. Existem inúmeros tipos de dieta que acusam um ou outro alimento como vilão, como a dieta das proteínas, dos carboidratos, do grupo sanguíneo, entre outras. Mas sabemos bem que os melhores alimentos ou a melhor dieta é aquela que promove ou auxilia na manutenção da saúde digestiva e do ser humano. O ideal é que não seja muito restritiva e que leve o indivíduo a uma reeducação alimentar, defende a especialista.

 

Embora muita mãe corte os líquidos entre as refeições, eles são fundamentais para a boa saúde intestinal. E esse é apenas um exemplo de coisas que pensamos fazer certo, mas que fazemos errado. Estudos muito recentes mostram que uma dieta rica em legumes, verduras e frutas ajuda na manutenção de uma microbiota (flora) intestinal mais saudável e diversificada, mantendo a eubiose, e isso tem relação direta com a manutenção da nossa saúde. Uma dieta ‘americanizada’ pode favorecer o desenvolvimento de microrganismos potencialmente patogênicos, promovendo a disbiose, e favorecendo o aparecimento de doenças digestivas e extradigestivas crônicas. O bom senso é sempre a melhor opção na escolha da dieta nada de restrições importantes para quem não tem intolerâncias alimentares importantes e nada de dietas muito gordurosas e industrializadas em excesso, reforça Maria do Carmo.

 

Segundo a nutricionista clínica esportiva Cássia Nascimento, mestre em ciências do esporte, nem devemos falar em alimentos importantes para a saúde intestinal, e sim em uma alimentação saudável e equilibrada, capaz de ofertar ao corpo todos os nutrientes indispensáveis à saúde. A função da microflora intestinal é fermentar algumas substâncias ingeridas na dieta, a fim de que possamos absorvê-las e aproveitá-las. No entanto, é necessária a manutenção dessa microflora, para que não haja um desequilíbrio entre as espécies bacterianas presentes, causando, assim, desconfortos às pessoas que sofrem desse desequilíbrio, tais como diarreia, obstipação, queda na absorção de minerais, alerta. E nesses desconfortos, síndromes e intolerâncias, novamente o que faz bem para uns, não fará para outros. O ideal é que as pessoas reconheçam suas dificuldades e procurem ajuda especializada para ter a dieta como aliada.

 

Na Síndrome do Intestino Irritável, por exemplo, é preciso evitar o excesso de gorduras e carboidratos não digeríveis (fibras), como carnes gordurosas, frituras, além das fibras em excesso (aveia, linhaça, chia). Para quem sofre com flatulência, a orientação é diferente. Priorize uma alimentação com carboidratos sem glúten (à base de arroz), proteínas magras (frango, peixes, carne vermelha magra) e evite nutrientes que fermentem no intestino, caso de fibras (aveia, linhaça, chia), brócolis, feijão, cebola, repolho, couve-flor, cenouras, trigo, explica. Já na constipação intestinal, as fibras são bem-vindas. É preciso priorizar o consumo de aveia, farelos, chia, linhaça, pães integrais e frutas de uma forma geral, de preferência com a casca, além de líquidos ao longo do dia (água, sucos e chás). Consumir iogurte natural batido com ameixa-preta sem caroço uma vez ao dia é uma ótima dica, segundo a nutricionista.

 

DIAGNÓSTICO

 

Intolerantes à frutose devem passar longe do xarope de milho, mel, figo, maçã, banana, uva, manga, melancia, caqui, ameixa e de algumas leguminosas, como o feijão-branco. E os doentes celíacos devem priorizar pães, bolos e biscoitos à base de farinhas sem glúten, ou aqueles com farinha de arroz ou cereais, como aveia e granola. Intolerantes à lactose devem seguir orientações em função do nível de sua intolerância, mas, de forma geral, é preciso evitar os alimentos ricos em lactose. Os derivados do leite, com menos quantidade de lactose, normalmente são mais aceitáveis. A pedagoga Bethânia Alves Silva Moreira, de 39 anos, sabe bem do desconforto de ser intolerante ao leite. Há alguns anos, ela já passava mal quando consumia esse alimento e seus derivados, mas o diagnóstico só veio há seis meses. Tinha enjoos, enxaqueca e dificuldade de digestão, agora que adotei a dieta, tenho muito mais disposição, já que não passo mal como antes, comemora.

 

Bethânia tratava de gastrite, quando o gastroenterologista quis pesquisar melhor a questão do consumo da lactose. Ela fez o teste e esse foi positivo para a intolerância, que, no seu caso, é muito forte. Passei a tomar tudo sem lactose. Hoje, há muita opção, há linhas completas de leites e derivados para pessoas com intolerância. A única coisa que ainda não achei e tenho vontade de comer é sorvete, conta. Bethânia acredita que ter a opção de abordar um problema apenas mudando a alimentação é o ideal, mas aproveita outros recursos que melhoram seu dia a dia com o problema. Nos fins de semana, por exemplo, ou quando tem festas, ela usa o comprimido de lactase, a enzima que processa a lactose, e pode comer com menos restrições. Apesar de estar liberada para usá-lo com frequência, preferiu investir na dieta. Além disso, aprendi a olhar todos os rótulos do que como. Mesmo pequenas quantidades de leite em biscoitos e pães podem me fazer mal.

Fonte: http://www.hinutrition.com.br/Noticia/Post/2188

 

 

dieta-esteatose

Compartilhar:

Olivicin Plus é um extrato de folhas da oliveira padronizado em 20% de oleuropeina e 3%  de hIdroxitirozol que diminui com mais eficácia os níveis de radicais livres e estimula a renovação celular da  pele, melhora a hidratação, elasticidade e retarda o envelhecimento cutâneo.

PROPRIEDADES

Pesquisas mostraram que a dieta do mediterrâneo reduzos riscos de doenças cardiovasculares. Análise em mais de 1,5 milhões de adultos demonstrou que a dieta estádiretamente associada a redução dos riscos de doenças cardiácas, Câncer e redução do índice de Alzheimer e Parkinson. A dieta do mediterrâneo é composta pordiversos alimentos como frutas, grãos e vegetais, dentre esses o que tem grande destaque é a Olea europaea, conhecida como oliveira que apresenta diversos benefícios a saúde e a pele, devido a sua grande concentração de polifenóis.

Olivicin contém vários fenóis com diversas atividades fisiológicas sendo a oleuropeina o composto mais importante, seguido do hidroxitirosol e tirosol.

Dois trabalhos demonstraram que a oleuropeina é rapidamente absrvorvida após a administração oral com pico plasmático ocorrendo 02 horas depois de administrado.

O hidroxitirosol é o metabolito mais importante da oleuropeina. Tanto a oleuropeina quanto a hidroxitirosol são rapidamente absorvidos e eliminados na urina pela conjugação glicurônicacomo na forma livre.

 MECANISMO DE AÇÃO

Beneficios da pele

Olivicin ativa os proteossomos que são conhecidos como sistema natural de renovação celular da pele eliminando as camadas de células mortas de forma mais eficiente. Possui elevado efeito hidratante mantendo a pele mais firme e saudável. Com isto, diminui o aparecimento de rugas e linhas de expressão.

Olivicin é um potente antioxidante e protege a pele contra as ações deleteriaisdos radicais livres.

Efeito anti-inflamatório

Visioliet al .  mostraram que a oleuropeina aumenta a produção de óxido nítrico (NO)  nos macrófagos intoxicados por lipopolissacarídeos através da indução de enzima óxido nítrico sintetase, e assim aumenta a atividade dessas célula imunológicas. Olivicinexerce  ação anti-inflamatória através de  inibição da atividade da lipoxigenas e da produção de leucotrieno B4 (marcador inflamatório).

Efeito cardioprotetor

Coniet alrelataram que a oleuropeina reduziu a adesão de células monocitoides no epitélio vascular e previne a perocidaçãolipíca da membrana, assim apresenta um efeito contra aterosclerose.

Neuroproteção

Os radicais livres causam danos às membranas que podem levar a uma disfunção celular. A membrana das das mitocôndrias são altamente sensíveis ao ataque de radicais livres e podem ocasionar doenças neuro-generativas. Bazotiet al .  demonstraram que a oleuropeina previne a agregação B-amilóide que caracteriza a doença de Alzheimer, portanto sua atividade neuroprotetora previne a função-cerebral.

 

AÇÃO TERAPÊUTICA

  • Auxilia a renovação celular;
  • Anti-aging;
  • Antioxidante;
  • Melhora a hidratação da pele;
  • Antiaterogenico
  • Anticancerígeno
  • Antimicrobiano

 

Consulte sempre um profissional habilitado à prescrição18425361_1784293244920262_1819298884462434546_n

Compartilhar:

thumbnail_BLOG-01

 

Indicações:

– Reduz o acúmulo de gordura corporal;

– Tratamento da atrofia muscular;

– Aumento da resistência física;

– Promove crescimento da massa muscular;

– Preserva a massa muscular (anti-catabólico);

– Melhora o perfil glicêmico e do colesterol;

– Reduz a resistência à ação da insulina por meio do fator de crescimento semelhante à insulina tipo 1 (IGF- 1).

O ácido ursólico é um composto natural, encontrado em várias espécies vegetais como: maçãs (maior concentração na pele), peras, mirtilos, pele das uvas, erva mate, urtiga e algas marinhas. Trata-se de um fitoquímico com uma estrutura triterpenoide pentacíclica, onde uma grande variedade de estudos tem demonstrado seus benéficos efeitos para a saúde.

Embora a ciência seja preliminar, ácido ursólico parece ser capaz de reduzir a acumulação de gordura e aumentar o ganho de massa muscular quando em um estado alimentado, e para induzir queima de gordura e preservar a massa muscular em jejum.

O ácido ursólico também pode promover a força e o crescimento muscular, reduzir o catabolismo muscular e apoia a perda de gordura. Hoje em dia é comumente encontrado em suplementos esportivos, cosméticos e produtos de saúde.

Dadas estas características, o ácido ursólico cada vez mais é utilizado no apoio para as pessoas que buscam melhorar sua composição corporal, ou seja, reduzir a gordura e manter o tecido muscular, estimular o metabolismo e regular os níveis de glicose no sangue, por isso poderia ser de bastante interesse naqueles pacientes com diabetes tipo 2.

Por se tratar de um componente totalmente natural, é uma excelente opção e extremamente viável para um grande número de pessoas que buscam se afastar de compostos sintéticos ou fármacos. O uso de ácido ursólico junto com uma abordagem de hábitos alimentares corretos e atividades físicas, melhora substancialmente a saúde das pessoas, minimizando as possibilidades de síndrome metabólica. Esta condição de saúde refere-se a uma série de desordens que aumentam o risco de sofrer doença cardíaca, diabetes ou infarto cerebral como casos mais graves.

Perder Gordura e Aumentar o Consumo de Calorias

Um fato interessante do ácido ursólico é o aumento da atividade de um tipo de tecido, a gordura marrom, e como consequência, a taxa metabólica. A gordura parda ou marrom trata-se de uma dos dois tipos que os seres humanos possuem. A outra se trata da denominada “gordura branca”. Os recém-nascidos possuem um maior índice deste tecido marrom. A principal função é manter a temperatura corporal. Recebe o seu nome devido à cor que lhe proporciona a quantidade de ferro que se encontra.

A diferença entre a gordura marrom e branca, é que a primeira possui uma maior disposição de capilares, e, por isso, se induz a um maior consumo de oxigênio; a gordura branca é o resultado de se armazenar um excesso de calorias; enquanto, a gordura marrom gerará calor queimando calorias. Em ambientes frios, os depósitos lipídicos de gordura se esgotam. O ácido ursólico pode converter o tecido adiposo branco em marrom, provavelmente motivado pelo aumento de irisina.

Saúde da Pele

O ácido ursólico possui ação antienvelhecimento através da promoção da melhora e reforço do colágeno cutâneo, o que dá uma maior elasticidade para a pele e melhora o aspecto das rugas e das manchas.

O ácido ursólico também é capaz de aumentar os níveis de ceramidas e queratinócitos, favorecendo a regeneração da barreira hidrolipídica da pele. O ácido oleanólico e o ácido ursólico também favorecem a expressão positiva dos genes requeridos para a diferenciação de algumas proteínas estruturais. Em outros estudos já tinha sido descoberto que os lipossomas de ácido ursólico favorecem a síntese de colágeno e aumentam o número de ceramidas.

Atrofia Muscular

O ácido ursólico tem sido reconhecido como uma terapia potencial para tratar a atrofia muscular (devido à doença ou como resultado do própio envelhecimento humano) e inclusive, estimular a hipertrofia. Este processo foi observado mediante a inibição que o ácido ursólico produz na expressão de RNAm do músculo esquelético, a qual se encontra associada com a atrofia, e junto com o aumento da insulina do músculo esquelético e o fator de crescimento semelhante à insulina (IGF1). Pensase que o IGF-1 torna-se mais sensível.

Aumento da Massa Muscular

Estudos realizados demonstraram que o ácido ursólico estimula a atividade muscular Akt. Akt é uma proteína quínase cuja função é regular a proliferação celular, estimulando o crescimento através da ativação da síntese de proteínas. Juntamente com esta sinalização, também tem lugar propiciar um melhor uso da glicose por parte do RNAm, o recrutamento dos vasos sanguíneos e a sinalização autócrina/parácrina de IGF-I.

Proteção Contra a Perda de Memória

O ácido ursólico oferece mecanismos de proteção de caráter neuroprotetor mediante a redução da acumulação de MDA, que guarda relação com a peroxidação de lipídios, e junto o esgotamento da glutationa (GSH) no hipocampo.

Dose usual: 150 mg até 3 vezes por dia com as refeições.

EFEITOS COLATERAIS

Leve sonolência, tonturas, hipotensão e dor de cabeça.

CONTRAINDICAÇÕES

Contraindicado o uso em crianças.

Compartilhar:

post 115

 

BIOSOLE BB FPS 30

Protetor solar com base corretiva e toque mais seco. Disfarça as imperfeições de tonalidade da pele e protege contra o a radiação solar.

 

  • Alta cobertura;
  • BB Cream 4 cores: Bianco, Vaniglia, Miele, Noce;
  • Suaviza Rugas;
  • Toque seco;
  • Disfarça imperfeições;
  • Efeito Lifting;
  • 12 Horas de Proteção.

Indicação

 

BIOSOLE BB FPS 30 é indicado para pelescom diferenças de tonalidade, peles com manchas e peles sensíveis ao sol.

 

Benefícios

 

80% Suavização de Rugas;

80% Efeito Lifting;

80% Melhora da Aparência;

Sensorial Extra-Aveludado e Seco;

Dermatologicamente Testado;

Livre de Parabenose Fragrância;

Não Testado em Animais.

 

Como usar

ApliqueBIOSOLE BB FPS 30 sobre o rosto limpo e secoantes da exposição ao sol. Reaplique sempre, após sudorese intensa, nadar ou banhar-se, secar-se com toalha e durante a exposição ao sol.

 

Ingredientes Ativos

Difendiox:

Combinação sinérgica de 14 polifenóis antioxidantes desenvolvida na Itália para máxima proteção da pele, atua diretamente no combate aos sinais do envelhecimento.

 

Compartilhar:

Blog-01

 

MELATONINA SPRAY SUBLINGUAL

RÁPIDA ABSORÇÃO

 

Na forma sublingual o medicamento apresenta rápida absorção, pois cai direto na corrente sanguínea, não havendo metabolismo de primeira passagem, podendo ser 100% aproveitado na sua forma ativa e proporcionando efeito mais rápido.

Benefícios da Melatonina:

 

– Regulação do sono e do ritmo circadiano

– Reduz estresse oxidativo

– Coadjuvante terapêutico em doenças neurológicas e degenerativas (como doenças do espectro do autismo (TEA) e síndrome de déficit de atenção e hiperatividade).

– Capaz de sincronizar circadianamente muitas funções do organismo. Por isso usada na correção dos distúrbios causados pelo “jet-lag”.

– Sintetizada a partir do triptofano e derivada da serotonina após duas transformações enzimáticas que a acetilam e substituem o grupamento hidroxila pelo metóxi.

– A melatonina é produzida pela glândula pineal na vigência de estimulação noradrenérgica simpática, através de inervação pós-ganglionar originada no gânglio cervical superior.

– Diferentemente dos hormônios dependentes do eixo hipotálamo-hipofisário, a produção de melatonina não está sujeita a mecanismos de retroalimentação sendo que, portanto, a sua concentração plasmática não regula sua própria produção.

– Por outro lado, uma característica funcional essencial desse sistema é ser estritamente controlado pelo sistema de temporização circadiano de tal forma que a produção diária de melatonina obedece precisamente uma produção rítmica circadiana sincronizada ao ciclo de iluminação ambiental característico do dia e da noite. Além disso, essa produção rítmica diária é tal que, em qualquer espécie considerada, o pico de produção se dá durante a noite.

– Essa característica de produção atribui à melatonina um papel extremamente importante que é o de ser essencial no processo de sincronização circadiana do organismo, em particular, do sono e vigília e do metabolismo energético.

– Outra característica importante do sistema funcional neural que regula a síntese de melatonina é que luz presente no meio ambiente à noite pode bloquear, completamente, até, (dependendo de sua intensidade e comprimento de onda, principalmente a luz azul de 480 nm), a síntese de melatonina pineal. A melatonina, além de ações diretas, independentes de receptores, como sobre os radicais livres de oxigênio e nitrogênio, age, também, através de seus receptores específicos.

– A melatonina tem seu uso estabelecido na clínica médica no tratamento de alguns distúrbios do sono como insônia por fase retardada, ciclo vigília-sono com períodos diferentes de 24h, latência prolongada para o sono, fragmentação do sono, distúrbios comportamentais do sono REM, correções do sono do idoso, dessincronização entre o ciclo vigília-sono e o dia e a noite, como observado com frequência em alguns tipos de cegueira (pré- quiasmáticas)

– Além disso, e por ser um importante agente regulador do ciclo vigília-sono (mas não só, também como um agente antioxidante, antiamiloidogênico, neurotrófico e neuroplástico) é usado como um coadjuvante terapêutico em doenças neurológicas e degenerativas (como doenças do espectro do autismo, síndrome de déficit de atenção e hiperatividade, Smith- Magenis, etc) que resultam em distúrbios do sono e dos ritmos biológicos circadianos.

– Particularmente, em relação a esses últimos, a melatonina é vista como um poderoso cronobiótico, isto é, um agente capaz de sincronizar circadianamente muitas funções do organismo. Por isso tem, também, sido usada na correção dos distúrbios causados pelo “jet-lag”.

– Dado o enorme avanço nas pesquisas sobre o papel fisiológico da melatonina, seu uso e de seus análogos farmacológicos como agentes terapêuticos na clínica médica tem se expandido enormemente, ainda que, em muitos casos, esteja em fase de experimentação clínica. Assim, a melatonina ou seus análogos têm sido usados no tratamento de certos tipos de enxaqueca, em distúrbios depressivos, anestesia, como um coadjuvante no tratamento antitumoral e/ou antimetastático, como um poderoso agente limitador das lesões pós-isquêmicas (associadamente à hipotermia no caso da hipóxia e isquemia perinatais, na displasia broncopulmonar do prematuro, AVC), em doenças metabólicas, síndrome do ovário policístico, etc.

 

 

Mecanismo de ação: Ação nos receptores MT1, MT2 e MT3, sobretudo o MT1 e o MT2 estão envolvidos na regulação dos ritmos circadianos e na regulação do sono.

 

Efeitos colaterais e Reações adversas: A melatonina é provavelmente segura quando tomada por via oral em doses comumente estudadas por até três meses, tipicamente 1-20mg. Em crianças, a melatonina é provavelmente segura para o uso a longo prazo em doses recomendadas. A melatonina pode causar batimentos cardíacos anormais, agressão, amnésia, enurese (em crianças), dor no corpo, alterações na temperatura do corpo ou sensação de frio, alterações nos níveis de colesterol, alterações no sistema imunológico, dor no peito, confusão, diminuição da contagem de espermatozoides, delírios, desorientação, tontura, dano ocular ou glaucoma (aumento da pressão ocular), fadiga ou horário de sono-vigília irregular, fogginess, alucinações, dor de cabeça, efeitos hormonais, hiperatividade, aumento da frequência cardíaca, aumento do risco de apreensão (principalmente em crianças), inflamação, insônia, irritabilidade, alterações de humor, problemas de controle ou fraqueza muscular, distúrbios musculoesqueléticos, pesadelos, despertar noturno, má qualidade do sono, sintomas psicóticos, reações cutâneas (flushing, prurido, nódulos dolorosos, palidez, e erupção cutânea), sonambulismo, tempo de reação lento, estômago ou intestinos transtornos (mudanças no apetite, cólicas, diarreia, inflamação do esófago, náusea, gosto estranho na boca, dor de estômago e vómitos), sonhos vívidos, fraqueza, piorou comportamento, e bocejando.

A melatonina pode afetar a pressão arterial. Aconselha-se precaução em pessoas que tomam medicamentos, ervas, ou suplementos que afetam a pressão arterial. A melatonina pode afetar os níveis de açúcar no sangue. Aconselha-se precaução em pessoas com diabetes ou açúcar no sangue e aqueles que tomam medicamentos, ervas, ou suplementos que afetam o açúcar no sangue. Níveis de açúcar no sangue podem precisar de ser monitorado por um profissional de saúde qualificado, incluindo um farmacêutico, e os ajustes de medicação pode ser necessária. A melatonina pode afetar o risco de formação de coágulos. Aconselha-se precaução em pessoas com hemorragias ou distúrbios da coagulação e aqueles que tomam medicamentos que possam interferir sangramento. Ajustamento de dosagem pode ser necessário. Sonolência ou sedação podem ocorrer. Tenha cuidado em pessoas que estão dirigindo ou operando máquinas pesadas (incluindo aeronaves) e aqueles que tomam antidepressivos, estimulantes ou sedativos.

A melatonina pode interferir com o modo como o corpo processa determinadas drogas usando o sistema de enzima citocromo P450 do fígado. Use com cautela em pessoas que têm ou estão em risco de alterações nos níveis hormonais, distúrbios oculares, muitas vezes sentindo distúrbios frios, genital ou urinário (incluindo crianças com história de incontinência urinária), doenças cardíacas, hiperatividade, distúrbios imunológicos, doenças inflamatórias, doenças mentais, problemas de controle muscular, distúrbios do sistema nervoso, convulsões, doenças de pele e problemas estomacais e intestinais. Use cautelosamente em pessoas agentes que afetam o sistema imunológico, agentes anti-inflamatórios, ou agentes hormonais. Use com cautela em mulheres que amamentam, devido à falta de informações de segurança. Evite em mulheres que estão grávidas ou tentando engravidar. A melatonina pode diminuir o impulso sexual, aumentam o risco de distúrbios do desenvolvimento, e reduzir a função do ovário.

Evite em pessoas com alergia conhecida ou sensibilidade à melatonina ou produtos relacionados.

 

Gravidez e amamentação

No geral, há uma falta de evidência científica de alta qualidade sobre o uso de melatonina durante a gravidez ou amamentação. Use com cautela em mulheres que amamentam, devido à falta de informações de segurança. Evite em mulheres que estão grávidas ou tentando engravidar. A melatonina pode diminuir o impulso sexual, aumentam o risco de distúrbios do desenvolvimento, e reduzir a função do ovário.

Interações: Fluvoxamina, 5 ou 8 metoxipsoraleno, cimetidina (aumentam os níveis de melatonina). O tabagismo pode diminuir os níveis de melatonina devido à indução do CYP1A2. Quinolonas podem dar origem a uma maior exposição à melatonina. Carbamazepina, rifampicina, podem dar origem a concentrações plasmáticas reduzidas de melatonina.

 

– Álcool reduz a eficácia da melatonina.

– Zolpidem • Imunossupressores

– Anticoagulantes Contra indicações e Precauções: Hipersensibilidade à substância ativa ou a qualquer um dos excipientes. Pode provocar sonolência. Assim, a Melatonina deverá ser utilizada com precaução caso os efeitos da sonolência possam pôr em risco a segurança.

 

Posologia:

 

– Adultos (mais de 18 anos de idade)

– Para a degeneração macular relacionada à idade (perda de visão com a idade), 3mg de melatonina têm sido administradas por via oral todas as noites antes de dormir por seis meses.

– Para melhorar a regulação da temperatura corporal em idosos, 1,5mg de melatonina tem sido administrada por via oral todas as noites durante duas semanas.

– Para a doença de Alzheimer ou o declínio cognitivo, a melatonina foi administrada por via oral em doses de 1-10mg por dia durante 10 dias até 35 meses.

– Para a inflamação, a melatonina foi administrada por via oral em doses de 10mg noturno por seis meses ou 5mg a noite antes e uma hora antes da cirurgia.

– Para a asma, 3mg de melatonina tem sido administrada por via oral durante quatro semanas.

– Para retirada de benzodiazepinas (agentes ansiolíticos), doses de 1-5mg foram administradas por via oral a partir de várias semanas até um ano.

– Para o câncer, a melatonina foi administrada por via oral em doses de 1-40mg por dia, com 20mg de ser mais comum, por várias semanas a meses.

– Para a síndrome da fadiga crônica, 5mg de melatonina tem sido administrada por via oral cinco horas antes de dormir por três meses.

– Para DPOC (doença pulmonar crônica que causa dificuldade em respirar), 3mg de melatonina tem sido administrada por via oral no período noturno duas horas antes de dormir por três meses.

– Para distúrbios do ritmo circadiano em pessoas com e sem problemas de visão, a melatonina foi administrada por via oral em dose única de 0,5-5mg antes de dormir ou como uma dose diária por 1-3 meses.

– Para síndrome da fase atrasada do sono, a melatonina foi administrada por via oral em doses de 0.3-6mg, com 5mg sendo mais comum, diariamente antes de dormir por duas semanas a três meses.

– Para delírio, 0,5mg de melatonina tem sido administrada por todas as noites por até 14 dias.

– Para a depressão, 6mg de melatonina de liberação lenta tem sido administrada por via oral ao deitar, durante quatro semanas.

– Para o desempenho do exercício, 5-6mg de melatonina tem sido administrada por via oral, uma hora antes do exercício ou antes de deitar.

– Para a fertilidade, a 3mg de melatonina tem sido administrada por via oral todas as noites a partir do terceiro ao quinto dia do ciclo menstrual até injeção de hormônio (gonadotrofina coriônica humana, HCG), ou no dia da injeção de hormônio.

– Para a fibromialgia, 3-5mg de melatonina tem sido administrada por todas as noites por quatro semanas a 60 dias.

– Para distúrbios de estômago e intestino, 3-10mg de melatonina tem sido administrada por via oral à noite, durante 2-12 semanas.

– Para dor de cabeça, 2-10mg de melatonina tem sido administrada por via oral todas as noites durante 14 dias a oito semanas.

– Para inflamação do fígado, 5mg de melatonina tem sido tomado por via oral duas vezes por dia durante 12 semanas.

 

Referências:

  1. Altun, B. Ugur-Altun. Melatonin: therapeutic and clinical utilization. Int J Clin Pract, 61, 5, 835–845, 2007
  2. Medicamento de referência: Circadin: http://ec.europa.eu/health/documents/communityregister/2007/2007062925048/anx_25048_pt.pdf
  3. Medicamentos e Suplementos: http://www.mayoclinic.org/drugssupplements/melatonin/dosing/hrb-20059770
  4. Tortorolo F, Farren F, Rada G. Is melatonin useful for jet lag? Medwave. 2015 Dec 21;15 Suppl 3:e6343. doi: 10.5867/medwave.2015.6343
  5. Wang YY, Zheng W, Ng CH, Ungvari GS, Wei W1 , Xiang YT. Meta-analysis of randomized, double-blind, placebo-controlled trials of melatonin in Alzheimer’s disease. Int J Geriatr Psychiatry. 2017 Jan;32(1):50-57. doi: 10.1002/gps.4571. Epub 2016 Sep 19
  6. Daya S 1 , Walker RB , vidro BD , Anoopkumar-Dukie S . The effect of variations in pH and temperature on stability of melatonin in aqueous solution. J Pineal Res. 2001 Sep;31(2):155-8
  7. Johnson CE1 , Cober MP, Thome T, Rouse E. Stability of an extemporaneous alcohol-free melatonin suspension. Am J Health Syst Pharm. 2011 Mar 1;68(5):420-3. doi: 10.2146/ajhp100274. 8. Kanikkannan N1 , Singh M. Skin permeation enhancement effect and skin irritation of saturated fatty alcohols. Int J Pharm. 2002 Nov 6;248(1-2):219- 28.
Compartilhar:

post 113

 

 

 

TRATAMENTO CAPILAR

ASSOCIAÇÃO DE INTRADERMOTERAPIA, MICROAGULHAMENTO E LASER

WhatsApp Image 2017-04-19 at 14.28.58

 

 

 

Na foto abaixo, meu irmão Leonardo Bevilacqua com resultados visíveis com apenas 1 sessão de cada procedimento (intradermo, microagulhamento e laser) associado ao uso de produtos orais e tópicos diariamente. O tratamento consiste em no mínimo 3 sessões de cada procedimento, sendo necessário a avaliação do profissional.

 

01

 

 

A alopecia androgenética é a causa mais comum de alopecia para ambos os sexos, sendo caracterizada por alterações no ciclo do cabelo que pode levar a miniaturização folicular progressiva. O ciclo do folículo capilar apresenta uma alternância de fases entre o crescimento e repouso, sofre alterações definidas em fases anágena, catágena, telógena e exógena.

 

INTRADERMOTERAPIA:

 

Esta técnica consiste em aplicações periódicas onde existem falhas capilares, como queda excessiva. As aplicações de vitaminas e medicamentos específicos são realizadas no local a ser tratado, com o objetivo de ativar e melhorar a disponibilidade de ingredientes necessários para estimular o crescimento capilar.

A ação direta farmacológica dos produtos utilizados na aplicação provoca uma estimulação direta do colágeno. Ao criar micro depósitos na área afetada, há uma libertação lenta e gradual das substâncias promovendo tratamento efetivo para o problema.

Dessa forma não existe o risco dos medicamentos se ligarem às proteínas plasmáticas, obtendo-se, assim uma distribuição do medicamento de modo mais efetivo. Desta forma o risco de efeitos colaterais é praticamente nulo.

 

02

 

 

MICROAGULHAMENTO

 

Utiliza um “roller” ou uma caneta com múltiplas agulhas para realizar micro perfurações no couro cabeludo. Sua função é melhorar a circulação sanguínea e criar um estímulo inflamatório no local, como também facilitar a penetração de drogas ativas na derme e no subcutâneo com o propósito de chegar ao folículo piloso. A ação dos medicamentos nas células capilares vão somar ao tratamento oral na conquista por uma reparação ou renovação dos cabelos.

 

03

 

 

LASER

 

O nome para esse fenômeno chama-se bioestimulação, ou seja, a energia gerada pelo laser para destruir os pêlos, chega em baixa potência nos tecidos vizinhos da área tratada. Acredita-se que esta baixa energia quando chega ao bulge, uma estrututa situada na haste do pêlo, riquíssima em células tronco, causa uma estimulação destas células, proporcionando um engrossamento dos pêlos pré-existentes.

A partir deste fato, entram no mercado, lasers de baixa potência , com comprimento de onda suficiente para atingir esta região do pêlo, visando tratar vários aspectos da queda de cabelo. Ele deve ser introduzido quando a queda está ainda na fase inicial, no momento da minituarização do pêlo, já que esta técnica não devolve os cabelos que caíram há muito tempo, pois os folículos pilosos nesta fase, já estão destruídos.

 

04

 

Compartilhar:

post 112

 

 

 

O QUE MAIS TE INCOMODA? OS “PÉS DE GALINHA”, AS OLHEIRAS OU AS BOLSAS? TODOS ELES?

 

Pure C Eyes Emulsão Concentrada para Área dos Olhos com Vitamina C de Amplo Espectro, tem eficácia superior à vitamina C pura 20%.

 

Eficácia

– 92% Redução das Rugas do Tipo “Pé de Galinha”;

– 75% Melhora das Bolsas Oculares;

– 67% Clareamento das Olheiras

 

Modo de Uso

Aplique pela manhã e à noite ou conforme orientação médica.

 

Indicação

Pele da área dos olhos com rugas, bolsas e olheiras.

 

Propriedades

  • Melhora a Textura daPele;
  • Melhora a AparênciaGeral da Pele;
  • Pele com Aspecto Mais Saudável;
  • Pele com Aspecto Mais Jovem;
  • Promove Efeito Lifting.

 

Inovação

Vitamina C de Amplo Espectro

 

Ingredientes

Lipoascorbil e Lipoascorbil Acqua

 

Segurança

Livre de Parabenos;

Livre de Fragrâncias;

Dermatologicamente Testado;

 

Compartilhar:

 

post 111

Cada dia que passa, as academias estão ficando cada vez mais lotadas com um público à procura de resultados imediatos em relação ao ganho de massa muscular e definição. Sabe-se que uma das grandes vilãs neste aspecto é a bebida alcoólica. Alguns estudos relatam os mecanismos pelos quais a ingestão de álcool pode prejudicar os resultados de quem busca hipertrofia e vários comprovam que o álcool por si só causa um prejuízo de 24% nas taxas de síntese proteica mesmo quando se utilizava uma boa estratégia para otimizar os processos anabólicos (ingestão proteica adequada). A síntese proteica é o processo em que os aminoácidos são unidos para formar proteínas, que é o que constitui os músculos. Outros efeitos negativos do álcool foram comprovados nas teses, além de causar a desidratação (ficar desidratado pode comprometer esses ganhos, já que a água tem um papel fundamental na construção muscular), há uma queda nos níveis de testosterona. A testosterona é o hormônio mais importante para a construção dos músculos, e um dos fatores que determina quanta massa muscular uma pessoa pode ganhar é o nível desse hormônio livre no sangue (inibição do GnRH/LH). Com 7 calorias por grama, o álcool também pode ser bem “engordativo”, perdendo apenas para a gordura que tem 9 calorias por grama.

 

O ideal seria a exclusão total da bebida alcoólica da dieta, pois todos nós sabemos dos efeitos negativos do álcool à saúde e em relação aos fins estéticos é prejudicial tanto para quem busca hipertrofia ou para quem deseja perder gordura, mas sabemos infelizmente que é praticamente impossível. Assim, moderação sempre! Recomendo deixar as bebidas alcoólicas para momentos especiais, ao invés de beber todos os finais de semana, lembrando de manter o organismo sempre hidratado e ingerir a quantidade de proteína adequada ao longo do dia.

Compartilhar:
Perfil
Mona Lisa Bevilacqua

Formada em Farmácia Industrial, Pós-graduada
em Manipulação Magistral Alopática, MBA em
Cosmetologia e
com cursos de
cosméticos realizados
em Paris e Mônaco.
Saiba Mais
Chat Online
LiveZilla Live Chat Software
LiveZilla Live Chat Software
Horários de atendimento para Orçamento Online:
De seg. a sex. das 08h às 18h.
Sábado. das 08h às 13h.
Newsletter
Fique por dentro das novidades.
AdaTina
Ideal Farma
Global Sport
Galena
Morisol
Jornal da Manhã
Mais Acessados


Contato

34 3331-0500
Avenida Santos Dumont, 1050
Uberaba / MG - CEP 38060-600
Sobre o Blog

Este é um canal de comunicação da Farmácia AcquaBella com todos os nossos públicos: Clientes, Colaboradores, Sociedade e Fornecedores.
Farmácia AcquaBella © Todos direitos reservados 2014.